Pular para o conteúdo

veja ações mais recomendadas para investir em maio

Após um março volátil na bolsa, o Ibovespa encerrou abril avançando 2,12%, enquanto no acumulado do ano somou queda de 4,83%.O mês que passou foi marcado por desdobramentos políticos, principalmente relacionados ao novo marco fiscal, a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) nos Estados Unidos e o início da temporada de resultados corporativos do primeiro trimestre no exterior.Para maio, a CNN compilou quinze ações que devem navegar com solidez pelo atual momento e render bons dividendos aos investidores.Entres os papéis preferidos dos especialistas, destaque para Itaú Unibanco, Banco do Brasil, Engie e Vale, com cinco recomendações cada, seguidos pela Taesa, que teve quatro indicações.Para a composição da carteira de dividendos mais recomendados deste mês, a CNN contou com a colaboração de analistas do BTG Pactual, Banco do Brasil, Inter, Santander, XP, Ativa, Genial, Ágora, e Warren Investimentos. CenárioDado o contexto econômico, as corretoras permanecem com incertezas no radar e, consequentemente, a recomendação é para os investidores manterem a cautela.Em sua análise, o Banco do Brasil recomenda companhias de forte geração de caixa e com estrutura de capital menos suscetível ao atual ciclo alta de juros. A instituição ainda indica foco nas empresas que tenham qualidade recorrente nos resultados.O BTG Pactual cita em seu relatório que está “cautelosamente otimista” em maio. O cenário positivo é resultado das discussões do novo marco fiscal no Congresso, principalmente com a expectativa de melhoras no projeto. Para o banco de investimentos, temas que abordam a aplicação das regras merecem atenção especial.“Com as ações locais sendo negociadas com valuations [valor dos papéis] extremamente descontados, a aprovação do arcabouço fiscal pode ter um impacto positivo marginal no preço dos ativos brasileiros”, avalia o BTG.Além disso, a instituição menciona que o provável fim do ciclo de alta das taxas de juros dos Estados Unidos pode oferecer suporte extra para as ações globais e de mercados emergentes.Veja a carteira completa abaixo: DestaquesBanco do BrasilAção: BBAS3Comentário: XPEm abril, as ações do Banco do Brasil (BBAS3) saltaram +9,1%, superando o IBOV e o IFNC (+0,4% e +5,5% no mesmo período, respectivamente).Para a XP, essa dinâmica de preços é resultado da soma da queda das preocupações geradas por eventos adversos ocorridos com bancos estrangeiros com uma expectativa de resiliência nos resultados dos bancos ao longo do ano, apesar do ambiente macroeconômico desafiador.A visão é positiva para o Banco do Brasil pelo perfil defensivo de sua carteira, com baixa inadimplência e o maior índice de cobertura do setor. Além disso, a instituição observa o valuation com desconto das ações em relação aos pares como excessivo.“Vemos sua operação como mais resiliente entre pares em um ambiente macro desafiador no curto prazo. Posto isso, reiteramos nossa visão positiva para o banco e nossa recomendação de Compra para a ação”, considera a XP em sua análise.EngieAção: EGIE3Comentário: InterCom o cenário hídrico favorável, a análise do Inter é de que o segmento de geração de energia deve ser beneficiado.Além disso, a instituição afirma que a Engie possui boa parte de seu portfólio contratado com preços maiores que R$ 200/MWh até 2025, estando protegida dos baixos preços de energia atuais.“Os projetos de transmissão devem agregar mais ao fluxo de caixa operacional, assim como a TAG que ganha destaque no portfólio cada vez mais diversificado da empresa”, diz a análise.O Inter lembra ainda que em fevereiro foi aprovada a distribuição de dividendos complementares em R$ 1,5 bilhão, o que deve corresponder a aproximadamente R$ 1,78 por ação.ValeAção: VALE3Comentário: BTG Pactual“A ação continua sendo o nosso nome preferido para exposição à reabertura da economia chinesa. À medida que avançamos em 2023, esperamos que a atividade econômica se recupere gradualmente à medida que o governo diminui as restrições e o mercado imobiliário apresente melhora (“too big to fail”)”, escreveu o banco de investimentos em relatório.A avaliação é de que o momento operacional deve continuar a se recuperar, já que a produção e os custos devem melhorar nos próximos trimestres.O BTG elogia a entrada da Cosan no Conselho da Vale, e observa uma potencial monetização da divisão de metais básicos como um catalisador de geração de valor para os investidores de longo prazo.“Em nossa opinião, a administração permanece altamente disciplinada em sua estratégia de alocação de capital (capex de crescimento muito pequeno) – e estimamos um yield de 13-15% para 2023, incluindo recompras de ações”, diz a instituição. Compartilhe: