Pular para o conteúdo

Quero colaborar com o projeto de sociedade proposto por Lula, diz Galípolo à CNN

O secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Gabriel Galípolo, afirmou querer colaborar com o projeto social do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do ministro da Fazenda, Fernando Haddad. A declaração foi feita em entrevista exclusiva à CNN, nesta terça-feira (9).“Eu vim aqui [para o setor público] porque eu pretendo poder colaborar com um projeto de sociedade que está sendo colocado em prática pelo presidente Lula e pelo ministro Fernando Haddad. Então a todo momento disse que estaria disponível para jogar na posição que o presidente e o ministro entendessem que eu pudesse colaborar mais, desde que eu me sentisse minimamente confortável em ocupar a posição”, disse o secretário.Na segunda-feira (8), o ministro da Fazenda indicou Gabriel Galípolo para o cargo de diretor de Política Monetária do Banco Central (BC). A indicação, segundo Haddad, mira “entrosar as equipes do BC e da Fazenda”.Questionado sobre as reações do mercado financeiro após a indicação de seu nome para o posto do Banco Central, Galípolo considerou que, observando “os preços”, o anúncio foi feito sem sobressaltos.“Do ponto de vista de preços, o ministro Haddad fez o anúncio com o mercado aberto no meio do dia e sem grandes sobressaltos e nada que preocupasse. É natural que existam pessoas que tenham uma predileção para uma política específica, que tentem fazer posicionamentos para tentar induzir, para tentar fazer politica e induzir para um tipo de direção”, disse.O secretário reforçou que “seria estranho se tanto o presidente quanto o ministro fizessem a indicação de alguém que não tenham afinidade”.Por fim, Galípolo avaliou que Haddad tem “vencido” o ceticismo do mercado com relação à políticas anunciadas pelo governo federal e afirmou ainda que o ministro trabalha pela convergência da política monetária e da política fiscal. PerfilAos 39 anos, Galípolo é formado em Ciências Econômicas e é mestre em Economia Política. Em seu currículo, consta também a fundação, em 2009, da Galípolo Consultoria, da qual foi sócio-diretor até 2022. Entre 2017 e 2021, foi presidente do Banco Fator.Professor do MBA de PPPs e Concessões da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESP-SP) em parceria com a London School of Economics and Political Science, Galípolo também é membro dos conselhos Superior de Economia e de Infraestrutura, ambos da FIESP.De 2006 a 2012, Galípolo atuou como professor da graduação da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) em disciplinas como Economia Brasileira Contemporânea; Macroeconomia; Economia para Relações Internacionais; Introdução à Ciência Política; História do Pensamento Econômico; Economia Política; entre outras.*veja a entrevista completa no vídeo acima. Compartilhe: